Queijo Minas Frescal

A produção do queijo é um método de preservação do leite, portanto merece nossa citação, afinal é uma deliciosa arte que oriunda, assim como a charcutaria, da necessidade de preservação dos alimentos durante a evolução e expansão da civilização.

Vamos falar um pouco do Queijo Minas Frescal, que é classificado como um queijo branco e é um dos mais consumidos no Brasil. É um queijo “moderno” pois contém bastante umidade e por esse motivo tem vida útil baixa. Pode ser considerado moderno pois fugiu à regra original dos queijos, que prezavam pela durabilidade através de salga elevada e ampla e longa perda de umidade. Traz consigo a história do queijo mas adaptou-se ao mundo mais moderno, que permite a produção e comercialização de um produto mais perecível. Essa fuga das origens traz grandes vantagens, pois é um queijo que, justamente por não passar por cura, pode conter concentração de sal e colesterol reduzidas, bem como mais proteínas, vitaminas, minerais e cálcio.

Na lista dos queijos, os brancos são campeões em nutrientes, por isso são os únicos indicados pelos especialistas em alimentação e saúde. É muito nutritivo e dentre os demais queijos é o que tem menos colesterol (vilão do coração),  reúne proteínas (auxilia a formação dos músculos), vitaminas A (antioxidante), D (auxilia a imunidade) e B (saúde de olhos, pele e cabelo), e minerais, como fósforo e cálcio. Por são reiteradamente sugeridos pelos nutricionistas.

Queijo Minas Frescal
Queijo Minas Frescal

É possível encontrar o Queijo Minas Frescal enriquecido com probióticos, micro-organismos vivos que equilibram as bactérias e protegem a flora. Como a maioria das vitaminas e minerais é absorvida pelo intestino, o consumo desses queijos auxilia o bom funcionamento do órgão.

Características

Geralmente, apresenta coloração esbranquiçada, consistência mole, textura fechada e sabor variando de levemente ácido a suave. O peso varia de 0,5 a 3,o Kg, sendo comercializado geralmente entre 0,4kg e 0,5kg.

É um queijo que exige muita higiene durante a produção, pois é muito perecível. A pasteurização costuma melhorar o sabor final do queijo, pois evita o sabor ácido, amargo. Ainda previne bolhas e estufamento, pois elimina a proliferação de bactérias.

Queijo Ultrafiltrado

Recentemente iniciou-se a fabricação do Queijo “tipo” Minas Frescal através do processo de ultrafiltração, que evita o dessoramento do queijo minas frescal, modificando consideravelmente as características do queijo e o distanciando do modelo original. Creio que nem deva ser chamado de Minas Frescal. Esse processo é lucrativo, pois o produto retém muito mais soro e resulta em um queijo com teor muito mais alto de umidade, chegando a ter textura gelatinosa.

Queijo Ultrafiltrado
Queijo Ultrafiltrado

Cultura Láctea

Pode ou não ser acrescentada uma cultura láctea para adicionar sabor ao queijo, mas não costuma ser muito utilizado em produtos industrializados pois pode reduzir a vida útil e criar bolhas no produto. Em produções caseiras pode ser utilizado iogurte natural após a pasteurização.

Pasteurização

Método 1) Rápida, utilizando equipamentos específicos, com temperatura de 75ºC por aproximadamente 15 segundos.
Método 2) Lenta, mantendo o leite aquecido a 65ºC durante 5 minutos.

Durante a pasteurização é recomendado adicionar cloreto de cálcio, pois há perda de cálcio durante o aquecimento.

Características gerais

– Massa crua;
– Consistência mole;
– Elevada umidade;
– Classificação como semi-gordo;
– Deve ser consumido fresco;
– Grande variação de sabores.

O leite utilizado na produção deve ser de boa qualidade, microbiológica e físico-química. Pode ou não ser padronizado quanto ao seu teor de gordura (cerca de 3% de gordura).

0 0 vote
Article Rating
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notificação de
1 Comentário
novo
antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments

Encontrei algumas dicas boas, estou fazendo o curso de tecnico em alimentos, e gosto de sempre ver informaçoes de preparo e fabricaçao de produtos alimenticios.