O que é charcuterie ou charcutaria?

tabua-de-frios-charcutaria

A charcutaria ou charcuterie, que é o termo original do francês, é uma técnica de preparação de alimentos que envolve o processamento e a conservação de carne, geralmente por meio de métodos como salga, cura, defumação e fermentação. O termo “charcuterie” é de origem francesa e se refere a uma variedade de produtos de carne curada e preparada, como presunto, salame, salsichas, patês e outros produtos de carne.

A charcutaria é apreciada por sua combinação de sabores intensos e texturas diversas, e é frequentemente servida como um prato de aperitivo ou como parte de uma tábua de queijos e frios. A apresentação desempenha um papel importante na charcutaria, e muitas vezes é montada de forma artística em tábuas ou pratos, combinando carnes curadas com queijos, frutas, nozes, pães e condimentos.

Alguns dos produtos de charcuterie mais conhecidos incluem:

Presunto cru: O presunto curado, ou presunto cru como também é conhecido, é uma das estrelas da charcutaria, com variedades como o presunto de Parma, presunto ibérico e presunto serrano. É a iguaria mais nobre e custosa da charcuterie, e pode levar até 3 anos para ficar pronta para o consumo.

Salame: Existem inúmeras variedades de salame, incluindo o salame italiano, que geralmente é maturado por mais tempo e mais rígido, o salame de colonial, que é mais macio e tem pouco tempo de maturação, o salame hamburguês que passa por defumação e muitos outros, cada um com seu sabor característico.

Salsichas: Salsichas curadas, como chorizo, salsichas emulsionadas de estilo alemão, como as salsichas de cachorro quente(hotdogs, vinas ou frankfurters) que estamos bastante acostumados.

Patês: Patês de fígado, como o foie gras, são frequentemente incluídos em pratos e tábuas de charcuterie.

Terrines: Terrines são preparações de carne picada e outros ingredientes, frequentemente assados em uma forma de pão ou bolo, e podem incluir carne de porco, pato, carne de vitela e outros ingredientes.

Mortadela e Presutos cozidos: Mortadela e Presunto cozido são bem comuns nos lanches e cafés da manhã no Brasil, podem ser de porco, frango, gado ou uma mistura de carnes.

Linguiças: Linguiça é indispensável em qualquer churrasco, é um embutido muito tradicional e que pode conter uma variedade imensa de carnes e outros ingredientes, como queijos, ervas e até legumes.

Rillettes: Rillettes são carnes cozidas lentamente e desfiadas, geralmente servidas em potes e espalhadas em pães.

A charcutaria é uma tradição culinária que remonta séculos e é apreciada em todo o mundo. É uma maneira deliciosa de explorar uma variedade de sabores e combinações de ingredientes, tornando-a uma escolha popular para refeições informais, eventos e comemorações especiais.

História da Charcutaria ou Charcuterie

A charcuterie ou charcutaria tem raízes antigas e sua origem remonta a diferentes culturas e épocas ao longo da história. Ela evoluiu a partir de métodos de conservação de carne desenvolvidos por diferentes sociedades ao longo do tempo. Aqui estão algumas informações sobre a origem da charcuterie em diferentes regiões:

França: O termo “charcuterie” tem origem francesa e é derivado de carne(chair) e cozido(cuit) e da palavra “charcutier”, que se refere ao açougueiro ou produtor de produtos de carne. Na França, a charcuterie ganhou destaque durante a Idade Média, quando os açougueiros desenvolveram métodos de conservação de carne, como a cura e a fermentação, para prolongar a vida útil das carnes. Os produtos de charcuterie se tornaram parte integrante da culinária francesa, e a França é famosa por suas variedades de patês, salames e presuntos.

Itália: A Itália também tem uma longa tradição de charcuterie, com produtos como o presunto de Parma e uma grande variedade de salames, como o salame milanês e o salame de Gênova. A culinária italiana é conhecida por seu uso criativo de carnes curadas, que são usadas em sanduíches, pizzas e muitos outros pratos tradicionais.

Espanha: Na Espanha, a charcuteria é conhecida como “charcutería” e é uma parte importante da gastronomia espanhola. O presunto ibérico, especialmente o famoso Jamón Ibérico, é um dos produtos de charcuterie mais apreciados e caros do mundo. Além disso, a Espanha é conhecida por suas salsichas curadas, como o chorizo e o salchichón.

Outras regiões: A charcuterie não é exclusiva da França, Itália e Espanha. Muitas outras culturas ao redor do mundo têm suas próprias tradições de alimentos curados e preparados. Por exemplo, a Alemanha é famosa por suas salsichas, como a bratwurst e a mettwurst, enquanto a China tem uma longa história de preservação de carne, incluindo o uso de métodos de secagem e defumação.

Evolução tecnológica da charcuterie ou charcutaria

Uso de culturas bacterianas selecionadas: As culturas bacterianas selecionadas, ou culturas starter, desempenham um papel fundamental na charcuterie, especialmente em produtos como salames, salsichas e produtos fermentados. Essas culturas são adicionadas intencionalmente às carnes para iniciar processos de fermentação controlada. Elas convertem açúcares em ácido láctico e outras substâncias, criando um ambiente ácido que inibe o crescimento de bactérias indesejadas. Além disso, essas culturas contribuem para o desenvolvimento de sabores característicos e texturas em produtos curados.

A preservação de carnes por métodos de charcuterie evoluiu ao longo do tempo com avanços tecnológicos que melhoraram a eficiência e a segurança dos processos. Aqui estão cinco evoluções tecnológicas na preservação de carnes por métodos de charcuterie:

Refrigeração e refrigeração controlada: A invenção de sistemas de refrigeração, como geladeiras e câmaras frigoríficas, permitiu o armazenamento seguro de carnes frescas por períodos prolongados. Isso reduziu a dependência de métodos tradicionais de conservação, como a cura e a fermentação, para preservação de curto prazo.

Uso de nitrito de sódio e nitrato de sódio: A adição de nitrito de sódio e nitrato de sódio, geralmente em mistura denominada sal de cura, em produtos de carne curada, como bacon e presunto, desempenha um papel importante na prevenção do crescimento de bactérias patogênicas, além de dar cor e sabor característicos a esses produtos.

Embalagens a vácuo: A tecnologia de embalagem a vácuo permite remover o ar da embalagem, criando um ambiente anaeróbico que inibe o crescimento de microrganismos responsáveis pela deterioração dos alimentos. Isso é amplamente utilizado na preservação de carnes curadas e produtos de charcuterie.

Desidratação controlada e defumação: A desidratação e a defumação são métodos tradicionais de preservação usados na charcuterie. A evolução dessas técnicas inclui o uso de equipamentos modernos para controle preciso da temperatura e da umidade durante o processo de secagem e defumação, garantindo a segurança alimentar.

Uso de culturas fúngicas: As culturas fúngicas(mold), como Penicillium nalgiovense e Penicillium candidum, são utilizadas intencionalmente na charcuterie para promover o crescimento de mofo branco ou azul em produtos específicos. Isso é comum em salames mofados, como o salame branco, onde o mofo desempenha um papel na proteção da carne contra bactérias indesejadas e no desenvolvimento de sabores característicos. Além disso, algumas culturas fúngicas contribuem para a formação de uma casca protetora em produtos curados, ajudando a manter a umidade interna e a textura.

salame finocchiona
salame italiano com cultura fúngica externa

Produtos da Charcutaria brasileira

O Brasil possui sua própria tradição de preparação de carnes e alimentos curados que, embora tenha influências de diversas culturas, predominantemente europeias, tem características distintas. Segue relação com alguns dos produtos da charcutaria do Brasil.

Linguiça calabresa: A linguiça calabresa é um tipo de linguiça picante que tem suas raízes na culinária italiana. Ela é muito popular no Brasil, especialmente na culinária do sul e sudeste do país, onde é usada em feijoadas, pizzas, tábuas, grelhada com cebola em chapas e outras muitas preparações.

linguiça calabresa defumada na panela caseira charcutaria
linguiça calabresa defumada na panela caseira charcutaria

Linguiça toscana: A linguiça toscana é uma variedade de linguiça fresca que recebeu influência da culinária italiana. Ela é extremamente comum em churrascos.

linguiça toscana churrasco
linguiça toscana churrasco

Paio: O paio é um embutido defumado que tem influência da culinária portuguesa e é muito apreciado no Brasil. É frequentemente incluído em feijoadas e consumido como aperitivo ou como parte de tira-gostos.

Linguicinha cuiabana: Originária do estado de Mato Grosso, a linguiça cuiabana é uma linguiça típica da região central do Brasil. Ela é temperada com leite e ingredientes locais, como a pimenta-de-cheiro, o que lhe confere um sabor característico.

linguiça cuiabana churrasco bbq sausage
linguiça cuiabana churrasco bbq sausage

Carne-seca serenada e charque: A carne-seca é a carne de boi salgada e desidratada, e tem sido amplamente utilizada na culinária brasileira há séculos. Ela é um ingrediente essencial em pratos populares como a feijoada e o arroz de carreteiro.

É importante observar que muitos produtos da charcuteria brasileira têm influência de diferentes tradições culinárias, especialmente a europeia pela imigração, e evoluíram para atender aos gostos e ingredientes disponíveis no país. Embora esses produtos tenham características distintas, eles fazem parte de uma rica tradição culinária brasileira.

5 3 votes
Avaliações
5 3 votes
Avaliações
Subscribe
Notificação de

1 Comentário
novo
antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments

Deus água na boca, acho que dar um pouquinho de trabalho, porem o resultado dessa receita é sensacional.